Quais são os custos mais relevantes no processo de importação?

Quem quer atuar no comércio exterior, principalmente com a compra de produtos estrangeiros, deve ficar atento aos custos de importação. Qualquer erro na operação pode gerar prejuízos financeiros.

Por isso, há alguns detalhes que devemos levar em consideração quando se trata do pagamento de tributos e até da logística. É preciso conhecer cada um desses custos para saber se a importação vale realmente a pena.

E é exatamente sobre isso que vamos falar neste artigo. Para saber os custos que envolvem o processo de importação, basta continuar a leitura.

 

Os custos começam na origem da mercadoria

Ao adquirir mercadorias no exterior, os custos de importação já começam no local de origem. Eles envolvem o fator logístico, a qualidade da mercadoria e o valor de câmbio.

Com relação à logística, é importante consultar os Incoterms, um conjunto de regras definidas pela Câmara Internacional do Comércio (ICC) que tem por objetivo padronizar os termos acordados entre as empresas vendedora e compradora ao fechar um contrato de importação ou exportação. Assim, você pode saber quais os custos e obrigações de cada uma das partes negociantes.

De acordo com as especificações da carga, indica-se avaliar o tipo de transporte mais adequado e que tenha um custo condizente com o orçamento disponível.

Antes de fechar a compra, é importante que o produto tenha passado por algum tipo de inspeção, a fim de verificar sua qualidade. Negocie essa questão com o seu fornecedor.

Outro ponto que merece atenção é a variação cambial. Diversos fatores podem interferir na taxa de câmbio e surpreender o importador com um aumento de valor. Por isso, um contrato de hedge – uma operação de cobertura para proteger as empresas contra as grandes oscilações cambiais – pode ser uma boa solução.

 

Quando a mercadoria chega ao destino

A chegada da mercadoria ao país de destino envolve mais alguns custos. Nessa etapa, além dos impostos, também é preciso gastar com a logística e qualquer divergência no processo durante o desembaraço, que provoque custos adicionais.

A mercadoria pode ser nacionalizada de algumas formas e isso precisa ter sua definição feita antes de sua chegada ao país de destino. Essa escolha pode ser feita ao critério do importador ou por alguma especificação do produto.

A lista dos tributos a serem pagos não é pequena e, geralmente, é a que mais pesa nos custos de importação. Por isso, essa etapa precisa de uma análise criteriosa e feita com antecedência.

A decisão de efetivar a importação de qualquer mercadoria só pode ser feita se o empreendedor souber exatamente quanto vai pagar por ela. Pois, quanto maior o custo, menor o lucro obtido com a venda do produto.

Entre os impostos cobrados está o Imposto de Importação (II). Ele é gerado a partir da entrada de qualquer produto estrangeiro em território nacional. O valor do II vai depender do custo da mercadoria.

O IPI, ICMS, PIS e COFINS são outros tributos que o governo cobra na operação de importação de mercadorias. Eles não possuem um custo fixo, o seu valor depende de diversos fatores.

É comum que os Estados ofereçam benefícios fiscais e cada um deles possui uma dinâmica diferente. Alguns podem ser mais vantajosos, mesmo que o desembaraço aduaneiro seja feito em local mais longe do destino.

E não se esqueça de contratar um seguro sobre a mercadoria que está sendo importada. É preciso estar resguardado caso ocorra algum sinistro. O seguro evitará prejuízos maiores.

 

Cuidado com divergências no processo

E se, mesmo depois de todos esses custos de importação, for verificada alguma divergência de informações no processo, isso pode significar mais custos para a sua operação.

Essas divergências podem ser causadas por informações diferentes que constam na Declaração de Importação (DI). Desse modo, esse tipo de problema interfere na armazenagem e separação da mercadoria e pode até extrapolar prazos.

É justamente por conta de situações como esta que é muito importante fazer todo o planejamento do processo de importação. Além disso, acompanhar com atenção, cada etapa da operação.

Ao ter conhecimento de tudo que acontece no processo, o importador tem mais preparo para lidar com pequenos problemas que possam surgir de última hora. Dessa forma, qualquer custo a mais não comprometerá a importação.

 

Procure assessoria, se for necessário

Quando a empresa não possui um setor ou profissional especializado que cuide especificamente do processo de importação, a operação pode ficar muito mais complicada. 

Por isso, é indicado contratar uma empresa com experiência na área. Assim, ela pode oferecer uma consultoria direcionada para a necessidade do seu negócio. É possível fazer, inclusive, um planejamento tributário e logístico a fim de encontrar maneiras de reduzir os custos.

A Linkmex possui uma equipe de consultores especializados em comércio exterior e que podem prestar a assessoria que você precisa. Entre em contato conosco!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *